Seminário do CEDAP mobilizou rede socioassistencial

O seminário “Tanta Violência: Não é Certo!” promovido pelo projeto Ateliê Escola – Convivência e Arte e organizado pelo Centro de Educação e Assessoria Popular – CEDAP no dia 12 de junho mobilizou profissionais da rede socioassistencial de Campinas e região para os desafios do pós-cumprimento de medidas socioeducativas que os jovens e adolescentes em conflito com a lei enfrentam. O projeto Ateliê Escola mostrou durante o evento que é preciso manter vínculos e mostrar novos caminhos para que as mudanças possam ocorrer na vida deles.

O Seminário “Tanta Violência: Não É Certo!” organizado pelo Centro de Educação e Assessoria Popular – CEDAP por meio do projeto Ateliê Escola – Convivência e Arte reuniu mais de 150 profissionais que atuam na rede socioassistencial de Campinas e região. O evento permitiu o debate e reflexão entre os participantes e palestrantes sobre os desafios enfrentados tanto por jovens e adolescentes que cumprem medidas socioeducativas, bem como por seus familiares, e os profissionais que atuam na área.

A mesa de abertura contou com a presença do presidente do CEDAP, José Aparecido dos Santos (Tejota) e representantes da Prefeitura Municipal de Campinas e da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência e Inclusão Social (SMCAIS).

A apresentação do Ateliê Escola – Convivência e Arte pela coordenadora do projeto Mariana Saes mostrou que a ação patrocinada pela Petrobras, e que acontece em Campinas de forma pioneira desde 2011, é uma alternativa real de mudança para os jovens e adolescentes que frequentam as oficinas de arte-educação no CEDAP após cumprirem as medidas socioeducativas. “Eles enfrentaram uma série de privações ao longo da vida, e entraram em conflito com a lei. Eles vem ao Ateliê Escola livremente. Não é uma obrigação participar do projeto. Eles vem por que querem mudar, porque gostam da convivência, e formam vínculos com os profissionais, e com outros jovens”, explicou Saes. “O projeto reforça a relevância do trabalho das Organizações da Sociedade Civil na inclusão e atendimento destes jovens e adolescentes: 88% dos participantes do projeto do CEDAP não reincidem, ou seja, não cometem novos atos infracionais”, ressaltou Mariana Saes.

Outra demonstração do impacto positivo da arte-educação e do Ateliê Escola na vida destes jovens e adolescentes veio com a divulgação da pesquisa “A juventude egressa de medidas socioeducativas e os desafios do Projeto Ateliê Escola do CEDAP em Campinas”, apresentada pela doutora em Sociologia Doraci Alves Lopes (Profa. Titular aposentada PUC-CAMPINAS). Elaborada com entrevistas individuais com um grupo de jovens que participam do projeto, a pesquisa trouxe à luz as percepções deles em afirmações como “o CEDAP mudou minha vida” e “conheci a Casa (CEDAP) e comecei a frequentar. (…) eu entrei, me apaixonei”.

“Fica claro nos depoimentos que eles tem percepção e vontade de mudar. O que falta é política pública que ouça o que eles tem a dizer, que inclua-os como reais protagonistas no desenvolvimento destas políticas, e não apenas como meros beneficiários das ações do poder público”, reforçou a professora Doraci Alves Lopes no seminário.

No segundo período, após o debate, Martha Florença de Souza Coridola, coordenadora regional do Programa Se Liga em Belo Horizonte-MG apresentou a “Experiência de política pública de Minas Gerais com adolescentes egressos de medida socioeducativa – Programa Se Liga MG”, acompanhada de Glauce Rotondo.

A experiência mineira tem por objetivo acompanhar adolescentes que concluíram as medidas socioeducativas de semiliberdade e (ou) internação. O acompanhamento consiste em ações voltadas para o adolescente nas áreas de profissionalização, educação, trabalho e renda, saúde, cultura, esporte, lazer e família, levando em consideração os encaminhamentos realizados no cumprimento da medida, bem como suas expectativas. Para tanto, o Programa trabalha com os adolescentes em atendimento, e na articulação contínua da rede social em torno dos eixos de atuação. “O Se Liga se constitui como um dispositivo de enlace dos adolescentes à cidade e à rede, de modo que possam prescindir da trajetória infracional. A Participação no programa é voluntária”, explicou Martha Coridola.

Fechando o seminário, Paulo Mariante, presidente do Conselho Municipal de Direitos Humanos de Campinas, ministrou a palestra “Diálogo com os Direitos Humanos”. Mariante levantou uma série de questionamentos acerca do modo de vida atual e dos valores da sociedade, que “separa quem pode pagar por boa Educação ou Saúde daqueles que não podem”. “Se para ter um bom ensino, é preciso pagar em dinheiro, então como fica o direito universal à Educação previsto pela nossa Constituição e pelos Direitos Humanos?” indagou. “São questões que precisamos refletir, pois estão no cerne dos nossos problemas sociais de violência e desigualdade”, adicionou Mariante.

O seminário foi encerrado com apresentações musicais, de capoeira e artísticas com a participação de adolescentes do projeto Ateliê Escola, e do projeto Arteiros, também desenvolvido pelo CEDAP. Saiba mais sobre estes projetos no site do CEDAP.

Seminário “Tanta Violência: Não é Certo!” foi um sucesso!

Confira muitas fotos do seminário organizado pelo projeto Ateliê Escola e promovido pelo CEDAP, que aconteceu no dia 12 de junho de 2015, em Campinas. Mais de 150 pessoas participaram. Representantes da rede socioassistencial da cidade e região estiveram no evento e elogiaram bastante o projeto, e também ficaram sensibilizados com os desafios do pós-cumprimento de medidas socioeducativas que os jovens e adolescentes enfrentam. Clique aqui para ver fotos em nossa Fan Page do Facebook.

Ateliê Escola participa da organização da VII Conferência Lúdica Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Campinas

O Projeto Ateliê Escola – Convivência e Arte participou da organização da VII Conferência Lúdica Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Campinas, que ocorreu no dia 28/03 na Obra Social São João Bosco.

Veja fotos em nossa Fan Page, clicando aqui.

A Conferência Lúdica é um espaço de participação democrática de crianças e adolescentes nas discussões, avaliações e proposições de políticas públicas. A dinâmica da conferência visa garantir a diversidade étnica, social, de gênero e principalmente respeitando a fase de desenvolvimento de cada um.

A VII Conferência Lúdica faz parte da X Conferência Municipal dos Direitos de Criança e Adolescente que ocorrerá nos dias 13,14 e 15 de abril na sede dos Patrulheiros em Campinas.

As inscrições estão abertas neste link:
http://campinas.sp.gov.br/formularios/form-10a-conferencia-cmdca-2015/index.php

Redução da Maioridade Penal: projeto social de Campinas mostra outra solução

Projeto de ONG de Campinas é pioneiro na cidade e mostra que a redução da maioridade penal não é o caminho para a redução da violência: 88% dos jovens que participam do projeto não reincidem em atos infracionais. Depois de cumprirem medida socioeducativa, estes jovens e adolescentes participam de oficinas de arte-educação, e encontram o primeiro emprego. Dados mostram que somente 0,013% dos 21 milhões de adolescentes brasileiros cometeu ato contra a vida.

O projeto Ateliê Escola – Convivência e Arte, desenvolvido pelo Centro de Educação e Assessoria Popular – CEDAP, em Campinas, desde 2011, é pioneiro na cidade no atendimento de jovens e adolescentes que já cumpriram medida socioeducativa. Com oficinas de arte-educação, encontros de famílias, atividades coletivas e ações socioambientais pontuais, o projeto mostra que outra solução (contrária à redução da maioridade penal hoje em pauta no País) é possível para mudar a vida de jovens que cometem atos infracionais.

“Reduzir a maioridade penal vai apenas reforçar a situação de exclusão social que estes meninos e meninas já enfrentam durante toda sua vida”, ressalta Mariana Saes, coordenadora do Ateliê Escola no CEDAP. Dados da UNICEF mostram que “no Brasil, os adolescentes são hoje mais vítimas do que autores de atos de violência. Dos 21 milhões de adolescentes brasileiros, apenas 0,013% cometeu ato contra a vida” demonstra nota do UNICEF de 20 de março de 2015. Por outro lado a violência contra os jovens é imensa, conforme mostram os dados do Mapa da Violência/2014 – “o Brasil mata 30 mil jovens por ano, e destes, quase 80% são negros”.

Em Campinas, o projeto Ateliê Escola reforça a relevância do trabalho das Organizações da Sociedade Civil na inclusão e atendimento destes jovens e adolescentes: “88% dos jovens e adolescentes participantes do projeto do CEDAP não reincidem, ou seja, não cometem novos atos infracionais”, acrescenta Mariana Saes. O Ateliê Escola tem patrocínio da Petrobras conquistado por meio de edital e a meta de atendimento é de 60 adolescentes/jovens e suas famílias, totalizando 200 atendidos. A seleção pública da Petrobras em 2012 teve 2.589 propostas de instituições de todos os estados brasileiros e o CEDAP foi um dos escolhidos na linha de atuação “Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente e Qualificação Profissional”.

Mais informações sobre o projeto Ateliê Escola:
CEDAP – Centro de Educação e Assessoria Popular
http://www.cedap.org.br
Fotos: http://www.facebook.com/cedapcampinas
imprensa@cedap.org.br

Ateliê Escola participa de encontro da ABRAPSO

A equipe do projeto Ateliê Escola – Convivência e Arte, do CEDAP, participou do XII Encontro ABRAPSO Regional São Paulo, que aconteceu em Santos, entre os dias 11 e 14 de março. O encontro organizado pela Associação Brasileira de Psicologia Social teve como tema a “Práxis em Psicologia Social: Desafios e Perspectivas”.

Cilque aqui para ver as fotos em nossa fanpage do Facebook.

A equipe do Ateliê Escola apresentou três trabalhos nas modalidades de “comunicação oral”, “compartilhando a práxis”, e “pôster” com as apresentações: “Ateliê Escola: o pioneirismo no atendimento de adolescentes e jovens pós medida socioeducativa”, “Zumbi-lambe: re-existindo na cidade” e “O encontro das famílias no Ateliê”.

“A participação da equipe proporcionou apresentar a experiência vivenciada pelo Projeto Ateliê Escola – Convivência e Arte, bem como, ampliar o debate sobre a práxis em Psicologia Social em diálogo com outras áreas de conhecimento”, observou Lucilene Gomes, que integra a equipe do Ateliê Escola.

CEDAP participa da organização da Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente

hm_20150213_encontros_cmdca_atelie

O Centro de Educação e Assessoria Popular – CEDAP participa da organização da X Conferência dos Direitos da Criança e do Adolescente que ocorrerá nos dias 13, 14 e 15 de abril na sede dos Patrulheiros, em Campinas.

O CEDAP compõe o Grupo de Trabalho Espaço Formativo, destinado à formação dos adolescentes e jovens para a Conferência Municipal.

O espaço tem o objetivo de realizar 12 encontros com temáticas propostas pelos próprios adolescentes (em reuniões realizadas no ano de 2014). Os encontros estão ocorrendo uma vez por semana (veja cronograma abaixo), com duas horas e meia de duração, na sede do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente – CMDCA.

Veja fotos em nossa fanpage do Facebook => Clique aqui!

Neste Espaço Formativo a equipe do Projeto Ateliê Escola – Convivência e Arte, desenvolvido pelo CEDAP, realizou oficina socioeducativa com a temática de medidas socioeducativas e redução da maioridade penal para 32 adolescentes no CMDCA, no dia 12 de fevereiro. Segundo Lucilene Gomes, assistente social que integra a equipe do Ateliê Escola, “os profissionais do CEDAP seguem na organização da conferência programada para abril, e que será aberta ao público”.

Cronograma do Espaço formativo

X Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente
Política e Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes – fortalecendo os Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente

Esse espaço formativo já faz parte da construção histórica de participação democrática das crianças e adolescentes do município de Campinas para as conferências municipais de direitos.

Local: CMDCA sala do NA
Dia: Quinta-Feira
Horário: 14h00 às 16h30 – 30 min de intervalo
ENCONTRO DATA TEMA
1º Encontro 26/11/14 Apresentação da conferência, GTs e consulta de temas.
2º Encontro 11/12/14 Aprovação do planejamento e cronograma formativo, inscrição e participação na reunião geral de organização.
3º encontro 29/01/15 O que é uma Conferência? Como Funciona uma conferência? Tema: Política e Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes – fortalecendo os Conselhos dos Direitos da Criança e do Adolescente, apresentação de Vídeo.
4º encontro 05/02/15 Violências: (Violência Infantil, tráfico de crianças…).
5º encontro 12/02/15 Medidas socioeducativas e redução da maioridade penal.
6º encontro 26/02/15 Educação.
7º encontro 05/03/15 Drogas e saúde.
8º encontro 12/03/15 Preconceito e Diversidade.
9º encontro 19/03/15 Trabalho Infantil e mundo do trabalho (aprendizagem profissional).
10º encontro 26/03/15 Planejamento das oficinas para a Conferência Lúdica.
11º encontro 02/04/15 Avaliação da Conferência Lúdica e preparação para a Conferência Municipal.
12º encontro 09/04/15 Mobilidade Urbana (transporte, esporte e lazer).

Jantar do Ateliê Escola reuniu mais de 70 pessoas

O jantar oferecido pela equipe do projeto Ateliê Escola – Convivência e Arte, do CEDAP, para jovens, adolescentes e seus familiares no dia 29 de outubro foi um sucesso e reuniu mais de 70 pessoas na sede da organização em Campinas. Foi o segundo jantar dentro do Ateliê Escola e mais uma vez envolveu a maioria das pessoas envolvidas no projeto.

“Foi muito bonito ver a participação expressiva de todos, tanto da equipe quanto dos participantes e seus familiares. É um momento importante para o fortalecimento dos vínculos que são construídos ao longo do projeto”, observa Mariana Saes, coordenadora do Ateliê Escola – Convivência e Arte, projeto desenvolvido de forma pioneira pelo CEDAP em Campinas e que conta com patrocínio da Petrobrás.

Clique aqui para ver as fotos no Facebook do CEDAP!